21 de novembro, 2017


Brasileiros se mobilizam a favor de eleições a partir do Voto Distrital Puro

Brasileiros se mobilizam a favor de eleições a partir do Voto Distrital Puro

DESTAQUE EDITORIAL

  • O movimento independente Brasil Desobediência Civil pretende juntar os brasileiros para anular a votação de modo pacífico e exigir eleições por meio do voto distrital puro.

Estamos mediante a uma situação política caótica, a qual urge por uma reformulação no que se refere em como eleger novos líderes representativos no atual sistema presidencialista. Nós, brasileiros, estamos pasmos  com tanta corrupção e impunidades, somados  à coragem daqueles que estão no poder  em trair  seu eleitorado e a sociedade. Por outro lado, há  um país polarizado, mesmo com tantas evidências  e provas contundentes que relatam  e delatam  que a maioria dos partidos estão envolvidos em vários atos ilícitos, ainda assim, os eleitores defendem uma ou a outra classe política, sem perceber que a corrupção é ambidestra.

Desobediência Civil – há uma saída, o Voto Distrital Puro.

Em primeiro lugar devemos entender  que o poder é um perigoso aliado para quem o detém. Estamos sendo assaltados a olhos vistos e mediante aos acontecimentos políticos,  que vêm sendo recorrentes, há a necessidade de agirmos rapidamente, pois a democracia está sendo arrastada por práticas governamentais, que estão extrapolando todos os limites e ainda prejudicando as esferas dos direitos sociais. Assim, uma saída para o País seria a Desobediência Civil, (trata-se de uma manifestação pacífica contra um governo opressor, onde um grupo se recusa a obedecer determinadas leis, no nosso caso, não deixar que ocorram novas eleições e não votar)  em seguida uma proposta de nova forma de governo.

Em segundo lugar,  a realidade é simples, o nosso sistema atual não funciona, a maioria da população é oprimida, só há vantagens para os líderes, e esses saem sempre ricos e ilesos, enquanto a sociedade vai perdendo seus direitos. Por essa razão, devemos nos mobilizar e juntos, protestarmos contra, de forma pacífica, a todas essas práticas administrativas corruptas. Em se tratando de uma nova proposta, podemos  pensar no Voto Distrital Puro, que funciona de forma apartidária,  no caso das eleições municipais elege-se apenas um representante,  e o distrito eleitoral é dividido por um bairro ou conjunto de bairros, e o candidato pede voto apenas  naquele distrito, acabando assim, com o problema de  custos  das campanhas e desvios de verbas. E, da mesma forma ocorre nas estaduais e federais, tudo divido em número de eleitores.

Somente os Senadores são eleitos  por todo o Estado, e o número dos eleitores é dividido pelo das vagas, com isso, onde houver mais pessoas maior será o número de senadores.  No caso de prefeitos, não há uma pessoa somente, e sim uma diretoria com 5 ou 6 membros. Nesse sistema de governo, se alguém cair, a eleição ocorre somente para aquele distrito, nada de suplente. Para entender melhor sobre o voto distrital puro, é importante uma pesquisa mais aprofundada sobre o assunto,essa talvez seja  uma saída para um país como o nosso, que se encontra à beira  do abismo econômico e social, onde os políticos mandam e oprimem  toda a população.

Ao discutirmos sobre a questão política e sobre as leis, deparamos com pessoas   de opiniões diversas, deixam de lado  a ação e defendem esse ou aquele partido, o fato é que todos estamos dentro de um “mecanismo da política brasileira”, assim chamado por José Padilha (O Globo), o mecanismo é montado de forma  que engloba todos os partidos, afim de forjarem documentos, subfaturarem notas, e enriquecerem de forma  não convencional, aqui não existe a lei de transparência, nem prestações de contas dos partidos, e por essa razão, a política precisa começar a ser mais administrativa, sem nenhuma ideologia e sim com ética. O pensamento de ordem  nesse momento, “o bem comum para o Pais”.

CC BY 4.0 Brasileiros se mobilizam a favor de eleições a partir do Voto Distrital Puro by Elaine Martins is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Sobre o Autor

Elaine Martins

Formada em Letras pela Unifran e professora na Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. É também professora de redação da Contexto - Cursos Preparatórios e Idiomas.

OUTRAS PUBLICAÇÕES