18 de outubro, 2017


Fotografia, uma memoria eterna?

Todos nós gostamos de relembrar de bons momentos vividos no passado, e a fotografia é uma possibilidade de revivê-los. Dessa maneira, a fotografia é conhecida como um meio de armazenar para sempre um momento especial vivido. Mas e como armazenar tantas fotos, que tiramos todos os dias?

Antes do surgimento das câmeras fotográficas, eram os pintores os responsáveis por eternizar um momento. Era um artigo de luxo, e somente as famílias com mais posses podiam contratar pintores para retratar a família.

Esse ritual foi substituído pela câmera fotográfica, principalmente com a expansão da Kodak desde o início do século XX. O desenvolvimento tecnológico fez com que as câmeras se tornassem disponíveis a todos. E, desde o final dos anos 1990 e o início dos anos 2000 a popularização das câmeras foi intensificada com as câmeras digitais.

Rogério von Krüger, fotógrafo especializado em fotos de casamento, teme que a quantidade exagerada de fotos feitas em câmeras digitais afete o armazenamento das imagens. “Hoje as fotos são cada vez mais descartáveis, e é difícil manter um arquivo com as câmeras digitais, que permitem que você apague as imagens direto da câmera. Muito pode se perder com isso, principalmente porque nem pudemos ver as fotos com boa qualidade ”, diz o fotógrafo.

Stefano Aguiar, fotógrafo de casamentos no Rio de Janeiro, é outro a temer pela banalização da fotografia e a falta de um armazenamento adequado. “A evolução das câmeras, em um primeiro momento, facilitou o trabalho do fotógrafo. Com as câmeras digitais, passamos a tirar muitas fotos até obter a imagem como desejamos”, afirma o fotógrafo. “A grande dificuldade dos dias de hoje é armazenar as fotos, sem que elas se percam no mundo eletrônico”, completa Stefano.

João Salamonde, que também faz fotos de casamento no Rio de Janeiro, se preocupa com o armazenamento das fotografias digitais. “Se bem cuidados, os negativos duravam anos sem perder em qualidade. Com relação a fotografia digital, nós ainda não sabemos qual é o melhor meio de armazenamento, pois não sabemos qual é a duração de um cd, sem perder qualidade”, afirma o fotógrafo profissional.

Armazenar em vários suportes é fundamental para os fotógrafos. Todos optam por salvar todo o seu trabalho na nuvem, além de ter um hd externo para backups periódicos. Manter no computador não é uma opção para eles: “a possibilidade de perder tudo é muito grande”, diz Stefano. “Não podemos correr esse risco”, diz João.

Faça as suas memórias fotográficas durarem pra sempre! Afinal, registrar momentos especiais e guardá-los com a gente faz a vida mais bonita!

stefano-aguiar

rogeiro-vkruger

joao-salamonde

Texto cedido por Rafaela Mattos.

CC BY 4.0 Fotografia, uma memoria eterna? by Jornalismo Colaborativo is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Sobre o Autor

Jornalismo Colaborativo

Principal site de Jornalismo Colaborativo, destaque no Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXIII / Prêmio Expocom 2016 e referência em startups de jornalismo na 300ª edição da Revista Imprensa em 2014.

OUTRAS PUBLICAÇÕES