19 de agosto, 2017


Sua startup está correndo atrás do próprio rabo?

Foco e profissionalismo

Muitos empreendedores, especialmente aqueles com perfil “mão na massa” ou aqueles iniciando sua primeira startup, se perguntam se realmente há necessidade de criar um plano de ação e mobilizar recursos externos logo de início.

startup-shutterstock_117564307A princípio, muitos encaram o processo de estruturação e investimento como um ato isolado de convencimento e tomada de capital, ao contrário de uma oportunidade de financiar a operação de forma eficiente e criar uma aliança estratégica com profissionais mais experientes. O aprendizado “solo” é importante mas tem limites.

O sucesso de uma startup está menos relacionado ao capital em si, embora seja necessário em muitos casos, e mais à estruturação da ideia e do modelo de negócios como um todo, evitando o que o empreendedor perca tempo correndo atrás do próprio rabo.

Isso acontece quando a startup, na ânsia de validar seu modelo de negócios e gerar tração, não se estrutura de forma consistente a ponto de gerar ciclos rápidos de aprendizado e crescimento.

Sua startup está correndo atrás do próprio rabo?

startup1

 

Muitas startups com ótimos projetos e boas equipes passam meses e anos sem que percebam ou consigam vencer este ciclo — e acabam morrendo antes mesmo de validar suas premissas de geração de valor e crescimento.

Obviamente, cada etapa do ciclo de vida de uma startup — descoberta, validação, eficiência e escala — possuí sua especificidade. Entretanto, o ponto levantado aqui é que, para cada uma pode haver nível mínimo de recursos necessários para dar sequência ao desenvolvimento da empresa. Este fato é particularmente verdadeiro para setores que requerem recursos substanciais em P&D, como biotecnologia, robótica, desenvolvimento de sistemas corporativos, serviços e produtos de infraestrutura computacional, entre outros tantos.

Em qual estágio está sua Startup?

tabela-fase-startup1Assim sendo, mesmo com a dramática queda no custo de criação de uma startup, como empreendedor é necessário se preocupar com a estruturação da startup desde o princípio, permitindo assim a mobilização dos recursos necessários — seja capital, novos sócios, bens de capital, parceiros, etc, já que serão eles os catalisadores de cada ciclo de desenvolvimento.

Sua startup correndo para o sucesso (ciclo virtuoso)

startup1-produto
Entender e articular os recursos que catalisam o negócio não é uma tarefa fácil e envolve uma grande dedicação nas frentes de planejamento estratégico, captação de recursos e relacionamento com investidores. Recursos em excesso podem tirar o foco da equipe e gerar uma expectativa de retorno que não condiz com o momento da empresa. Por outro lado, a falta de recursos pode ocasionar ciclos demasiadamente longos, muitas vezes levando a startup ao estol.

O estudo realizado pela Startup Genome em 2012 traz um indicativo interessante da quantidade de recursos necessários — tempo, capital e equipe — para o desenvolvimento da startup ao longo de seus estágios. Neste estudo, as startups foram classificadas conforme sua natureza, que são:

TIPO 1a — Automatizadores

Características comuns: aquisição de clientes self-service, plataforma focada no consumidor, centrada no produto, de execução rápida, voltada muitas vezes para a automatização de um processo manual.Exemplos: Google, Dropbox, Eventbrite, Slideshare, Mint, Pandora, Kickstarter, Hunch, Zynga, Playdom, Modcloth, Box.net, Basecamp, Hipmunk, etc.

TIPO 1b — Os transformadores sociais

Características comuns: aquisição de clientes self-service, massa crítica, tende a concentração (“vencedor ganha tudo”), UX complexo, efeito de rede, tipicamente criam novas maneiras para que as pessoas interajam. Exemplos: Ebay, OkCupid, Skype, Airbnb, Craigslist, Etsy, IMVU, Flickr, LinkedIn, Yelp, Aardvark, Facebook, Twitter, Foursquare, Youtube, Dailybooth, Mechanical Turk, MyYearbook, Prosper, Paypal, Quora, etc.

TIPO 2 — Integrador

Características comuns: geração de clientes por meio de vendedores, alta segurança, centrado no produto, monetização rápida, focado em PME, mercados menores, muitas vezes inovações ficadas no consumidor e as reconstrói em empresas menores.Exemplos: PBworks, Uservoice, KISSmetrics, Mixpanel, Dimdim, HubSpot, Marketo, Xignite, Zendesk, GetSatisfaction, Flowtown, etc.

TIPO 3 — Desafiador

As características comuns: as vendas da empresa, dependência de clientes elevados, mercados complexos e rígidos, processo de vendas repetível.Exemplos: Oracle, Salesforce, MySQL, Redhat, Jive, Ariba, Rapleaf, Involver, Bazaarvoice, Atlassian, BuddyMedia, Palantir, Netsuite, Passkey, jornada de trabalho, Apptio, Zuora, Cloudera, Splunk, SuccessFactor, Yammer, Postini, etc.

Compartilho da opinião defendida pela Startup Genome de que segmentar as startups entre B2C e B2B é insuficiente dada a complexidade e interdependência entre públicos modelos de negócios. Portanto, a segmentação com base na aquisição de clientes, produto, mercado e da equipe, entre outros, me parece fazer total sentido.

Resultado Consolidado do Estudo

startup1-resultado-estudo

Resultado por estágio de desenvolvimento

startup1-resultado-estagio

CC BY 4.0 Sua startup está correndo atrás do próprio rabo? by Rodolfo Pinotti is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Sobre o Autor

Rodolfo Pinotti

Piertech Serial Entrepreneur - Autor do livro "Surfando a Nova Economia".

OUTRAS PUBLICAÇÕES

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE