17 de outubro, 2017


Austrália x Irlanda

Austrália x Irlanda dá uma briga boa, de gigantes eu diria. Claro que os dois têm vários pontos positivos e negativos, então vou dar uma passada por alguns deles…

Eu trabalhei e fiquei bem mais tempo na Austrália, mas viajei pela Irlanda e tenho vários amigos morando e trabalhando por lá.

Como já escrevi muitas vezes no blog, meu favorito sempre será a Austrália. Mas Irlanda é uma opção forte porque é mais perto, bem mais barato e fica na Europa, o que proporciona a chance de conhecer vários países que ficam praticamente vizinhos.

Quando digo bem mais barato, me refiro a passagem, curso e os gastos em geral. Só a passagem para Austrália já pesa bastante no orçamento. Além do que o controle para conseguir o visto é mais forte. Basicamente você tem que demonstrar que tem grana para ir e se virar por lá.

Não lembro ao certo, mas você pode fazer isso usando mais de uma conta. Por exemplo, você pode colocar a conta do teu pai e de um tio. É como uma garantia de que você não está indo desesperado em busca de trabalho.

Para ambos, com o visto de estudante, o permitido é trabalhar 20h por semana. Mas na prática dificilmente é assim.

Pelo que vi na Irlanda, é mais fácil deixar o curso de lado por alguns dias enquanto trabalha, mas não pode abusar. Na Austrália não tem perdão, tem que fazer mais de 80% de presença nas aulas senão dificilmente você irá renovar o visto.

A saída seria encontrar outros cursos mais avançados como business ou personal traineer, onde teria aula a noite e duas vezes por semana por exemplo. Tem que pesquisar bem e vai depender do nível do seu inglês!

Pontos mais contrastantes:

CLIMA:
Austrália é como o sudeste ou sul brasileiro, quase sempre calor e um inverno moderado. Além de um mar maravilhoso.
Irlanda é quase sempre chuvoso, nublado e faz frio de verdade boa parte do ano! Muito mais difícil de se adaptar.

GRANA:

Os gastos com aluguel, comida e despesas em geral acaba sendo parecido.
Vai ser proporcional ao salário e não abusando dá para economizar bem.

TRABALHO:

Ambos precisam de mão de obra mais pesada, então dependendo do nível de inglês se prepare para ficar entre lavar prato, construção civil, garçom, barman ou coisas do gênero.
Mas comparar o salário com o brasileiro não dá. A média seria de R$ 20,00 reais por hora em ambos.

VIAGENS:
Na Austrália dá para conhecer a Nova Zelândia, Ásia (Indonésia, Tailândia…) e claro que a própria Austrália com paraísos por todos os lados.
Irlanda, como falei antes, é Europa… passagens baratas para todos os outros países aproveitando as promoções e pacotes.

FESTAS:
Mesmo indo com a namorada é sempre bom curtir a noite. Mais uma vez são estilos parecidos, com a galera bebendo e se divertindo em pubs (bares). Ambos são bêbados e gente boa! Gostam dos brasileiros e nos recebem bem.

RESUMO:
Acredito que já que o lance é se aventurar, a melhor opção seria e de fazer como muitos brasileiros.
Ir para um desses países, trabalhar forte, conhecer os países em volta e depois passar mais um tempo no outro, conhecendo assim já boa parte do mundo.

Dá para fazer grana. Dá para aproveitar. Mas para pagar teus pais aí você terá que passar pelo menos uns 3 anos e não gastar tanto. Porque é um investimento alto!

Mas eles sabem que o maior investimento é ver o filho aprender inglês e ganhar cultura e amadurecimento.

Já que terá que morar com estranhos, trabalhar pesado sem poder contar com o conforto de casa e a comidinha da mamãe.

Seja qual for tua escolha, desejo que dê tudo certo! E passando pela Suíça dê um toque que quem sabe tomamos uma cerveja por aqui…

Valeu, paz!

Fonte: #RPM

CC BY 4.0 Austrália x Irlanda by Michel Zylberberg is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Sobre o Autor

Michel Zylberberg

Autor do Blog de Viagens RPM. Desde 2006 compartilho minhas andanças pelo mundo. Já rodei por mais de 20 países e gosto de incentivar as pessoas a conhecerem o que esse mundão maravilhoso tem a oferecer, buscando trazer um conteúdo relevante e interessante, sempre junto com a minha grande paixão: a fotografia.

OUTRAS PUBLICAÇÕES